Conheçam e divulguem os 6 Direitos fundamentais dos designers

direitos-designers-web-designer-apple-monitor
Trago-vos hoje os 6 direitos fundamentais dos designers gráficos.
Muitos outros direitos deveriam estar aqui, alguns deles até bem mais importantes dos que os que aqui apresento, mas se estes 6 direitos dos designers gráficos fossem sempre cumpridos já estaríamos muito bem.

Abusem dos comentários para acrescentar outros direitos que achem que deveriam estar nesta lista.
Se puderem divulguem esta lista pelos vossos amigos designers e pelos patrões deles, quem sabe se algo muda na vida de algum de nós. 🙂

1 – Cada designer deve ter 2 monitores.

Os designers gráficos passam imenso tempo em frente a um computador com diversos programas abertos simultaneamente a desenvolver trabalhos que requerem enorme precisão.

Assim sendo a qualidade e o tamanho do monitor principal é essencial para um bom trabalho assim como é necessário o segundo monitor onde o designer gráfico colocará todas as paletes necessárias para o seu trabalho ser mais confortável e produtivo.

2 -Todo designer deverá ter um computador rápido e poderoso.

Todos os dias temos de trabalhar com arquivos maiores e programas que exigem muitos recursos do computador.

Logo um computador que hoje é um topo de gama está completamente ultrapassado em menos de 4 anos, estando nessa altura pronto a ser uma peça de museu.

Por estes motivos um designer deverá ter sempre um computador rápido e potente na execução das tarefas que lhe são pedidas.

3 -Cada designer deve escolher as ferramentas a utilizar (rato, teclado, mesa digitalizadora, etc…).

Eles são os meios de comunicação do designer com o computador e depende deles para o bom desempenho no decorrer do trabalho.

Trabalhar com ferramentas que conhecemos e nas quais confiamos são meio caminho para aumentar a produtividade do designer.

4 -Todo designer deverá ter uma cadeira confortável.

O designer passa muitas horas na secretária em frente ao computador, pelo que uma cadeira de escritório bem confortável e ergonómica é uma ferramenta fundamental para o bem estar e a saúde de um designer.

Uma boa cadeira permitem-nos poupar as nossas costas, evita problemas futuros e permite-nos descansar eficazmente e recarregar as baterias num momento de pausa.

5 – Cada designer deve ter uma ligação à Internet rápida e fiável

É praticamente impossível ver um designer gráfico a trabalhar no dias de hoje sem ter uma ligação à internet.

Existem imensos recursos que estão disponíveis online, pelo que trabalhar sem internet ou com uma ligação de baixa qualidade afecta imenso a produtividade de um designer.

6 -Cada designer deve ter um ambiente de trabalho silencioso e espaçoso.

O trabalho de um designer gráfico exige muita concentração e um bom ambiente para fomentar a criatividade é essencial.

Um ambiente silencioso, calmo e agradável é absolutamente essencial para termos a nossa criatividade disponível a 100% para todos os trabalhos.

adaptado de: adventuregraphs

Artigos semelhantes

3 comentários a “Conheçam e divulguem os 6 Direitos fundamentais dos designers

  1. Paula

    Permite-me discordar de alguns pontos e acrescentar outros. Em relação a serem os designers a escolherem o seu próprio material, é uma questão muito complicada. Já vi por uma secretária passarem muitos e sempre a trabalharem de modo diferente, o que seguindo a regra iria exigir a troca constante de material (um bocadinho incompatível não é?).
    Em relação aos restantes concordo, na impossibilidade de dois monitores, o maior possível para pelo o menos poder ver o trabalho no seu tamanho original.
    Deveria haver além de uma cadeira confortável, uma correcta colocação dos elementos para evitar consequências para a saúde, porque cada vez mais se mete o que é bonito à frente do que é saudável…
    Concordo com a Sara, cafezito fresco é essencial, assim como horários flexíveis não era má ideia. As pessoas não são máquinas que se liga e desliga, e os designers em particular não têm de andar inspirados das 9h as 18h. Acima de tudo, o que é importante é que um trabalho esteja pronto e bem a horas, se foi feito em 2 horas em horário impróprio, ou em 8 em horário normal é indiferente…ninguém tem de andar atrás de chicote, até porque acredito que isso só traz insatisfação e baixíssima produtividade.

    Um à parte a isto, seria um post que determinasse regras para o arquivo de trabalhos, porque tenho-me deparado com situações de trabalhos para repetir e quando se vai há procura dos ficheiros é uma dor de cabeça…nomes impróprios, ficheiros espalhados por várias pastas, ficheiros finais não identificados, etc…

  2. João Bem Autor do artigo

    Olá Paula,

    A questão da troca de material é sem dúvida complicada.

    A questão final que colocas é sem sombra de dúvidas uma questão pertinente e que cria por vezes situações muito complicadas, quer para os designers quer para as agências de design.
    Eu como tenho experiência passada de gabinetes muito técnicos, tenho grande dificuldade em lidar com a desorganização de ficheiros e não acho possívelque quando um designer se ausente de férias ou por outro qualquer motivo ninguém consiga encontrar um trabalho.

    Deixo este assunto para um próximo post. Obrigado pela ideia. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *